Grupos Políticos Municipais

ps1ppd-psd-1cds-pp1cdu1be1pan1mpt1

Calendário de reuniões

loader

Três Figuras da República em Sintra

5-out-ams

Ao assinalarmos esta importante efeméride, onde se comemora a Implantação da República ocorrida a 5 de Outubro de 1910, quisemos lembrar três das mais relevantes figuras relacionadas com Sintra, e que se destacaram nesse dia memorável.

Tomé de Barros Queiroz

Esta notável personalidade da Primeira República, que presidiu ao governo e foi diversas vezes ministro, encontrava-se em Sintra, na sua casa de veraneio sita na rua que hoje tem o seu nome, na Estefânia, quando se deu o 5 de Outubro de 1910. Por isso, a Junta Revolucionária e o Directório do Partido Republicano pediram-lhe para ser ele a implantar o novo regime no concelho. Cedo saiu de casa, juntamente com os seus dois filhos Daniel e Amílcar, e depressa se agruparam a eles um avultado número de republicanos sintrenses que se juntaram no Largo Afonso de Albuquerque, esperando um carro que viria de Lisboa com algumas personalidades da revolução.

Deu-se o caso que, enquanto esperavam, aquele grupo fortemente armado viu chegar uma viatura e depressa se abeiraram dela. Vinha lá dentro a rainha D. Amélia, acompanhada pelo seu camareiro-mor, e que se dirigia a Mafra, a juntar-se ao seu filho, o rei D. Manuel II, a caminho do exílio. Gerou-se um borborinho, e perante a iminência de um desnecessário banho de sangue, Barros Queiroz chegou-se à frente e, tirando o chapéu, fez uma vénia à rainha. Todos os revolucionários imitaram o seu líder, evitando assim mais um regicídio.

Ao meio-dia em ponto, da varanda dos Paços do Concelho, este homem proeminente proclamava a República em Sintra, sob os aplausos efusivos de uma multidão que, entretanto, ali se concentrara.

Fernando Formigal de Morais

Depois de proclamada a República, naquele mesmo dia e hora foi nomeado, e aprovado por aclamação, o nome de Fernando Formigal de Morais para ocupar o lugar de Presidente da Comissão Administrativa Republicana da Câmara Municipal de Sintra.

Era filho de Domingos José de Morais, homem muito dedicado a Sintra e que tinha, às suas custas, construído uma escola primária exemplar para a época e que chegou a ter, inclusive, uma banda de música constituída pelos alunos. Formigal de Morais herdou este gosto pela educação e pelo ensino e, enquanto presidente da Câmara, lançou o projecto para mais quatro escolas no concelho.

Para sua residência, edificou uma das mais belas casas de Sintra na sua Quinta dos Lagos, inaugurada em 1909 e cuja capela foi benzida pelo Arcebispo de Mytilene. O largo fronteiro à quinta ostenta hoje o seu nome.

Gregório Casimiro Ribeiro

A 22 de Janeiro de 1947 morria o político e fundador da casa de queijadas Gregório. Iniciou-se como fabricante por volta de 1890, e em 1910, foi o primeiro administrador do concelho do período republicano, sendo Fernando Formigal de Morais presidente da Câmara. 

Em 1911, Gregório Casimiro Ribeiro associou-se a José Ambrósio, enteado de Josefa Neves da família “Sapa”, para fabricar as queijadas que eram vendidas no “Café Pérola de Sintra”, de João Cunha, onde, segundo José Alfredo Azevedo, mais tarde foi a sede do Hockey Club de Sintra.

Em 1916, depois de dissolvida a sociedade que entretanto tinha feito com José Ambrósio, estabeleceu-se por conta própria no Largo de Regedor, em S. Pedro, denominando as queijadas que fabricava com a marca “Fábrica de Queijadas Recordação de Sintra”.

  |  Copyright: Câmara Municipal de Sintra 2017