Grupos Políticos Municipais

ps1ppd-psd-1cds-pp1cdu1be1pan1mpt1

Calendário de reuniões

loader

Sintra e a Implantação da República

5outubro

No último quartel do séc. XIX, e graças às acções de vultos importantes que aqui residiam, como Latino Coelho, Alfredo Keil ou Henrique Lopes de Mendonça, Sintra foi constituindo um importante grupo de adeptos da República. O Grémio Republicano de Sintra, sediado na Rua das Padarias, era um polo dinamizador da causa, espalhando a sua influência pelo concelho. Fontanelas, Montelavar, Belas e outras povoações tinham os seus núcleos próprios e bastante activos.

Quando, a 5 de Outubro de 1910, cai o secular regime monárquico, estava em Sintra, na sua casa de férias, uma das mais destacadas figuras da República, Tomé de Barros Queiroz. Aproveitando a sua estadia pela vila, o Directório Republicano solicita-lhe que seja ele a implantar o novo regime no concelho.

Do relato existente, sabemos que sai de casa, na Estefânia, acompanhado dos seus filhos e depressa de reúne à sua volta um grande grupo de revolucionários, onde se encontravam algumas das mais destacadas figuras do meio social sintrense da época. Juntou-se este grupo, onde muitos dos seus elementos estavam fortemente armados, no Largo Afonso de Albuquerque, com o intuito de esperar um carro vindo de Lisboa e que traria Malva da Silva e João Chagas. Nesta espera, por certo impaciente, surge uma viatura e todos se abeiraram dela, pensando tratar-se dos seus camaradas de revolução.

Contudo, nesse automóvel viajava a rainha D. Amélia, junto com o seu camareiro-mor, que tinha saído da Pena rumo à Ericeira, onde se encontraria com o seu filho, o rei D. Manuel II. Foi um momento de grande tensão. Mas, Barros Queiroz, homem de grande rectidão e elevação ética, depressa se aproximou da viatura e, descobrindo-se, fez uma vénia à rainha. Logo todos os outros repetiram o gesto, imitando o seu líder, e D. Amélia seguiu em paz para o exílio. Este gesto evitou, muito provavelmente, um desnecessário derramamento de sangue.

Ao meio-dia, na varanda dos Paços do Concelho, Tomé de Barros Queiroz implanta a República em Sintra e são, logo na ocasião, nomeados o presidente da Comissão Administrativa da Câmara, Fernando Formigal de Morais, todos os vereadores, e o administrador do concelho, neste caso Gregório Casimiro Ribeiro. Durante o dia houve festa por todo o território de Sintra. Na vila, duas bandas percorreram todas as ruas acompanhadas pela multidão, entre música, entusiasmo e vivas à República.

  |  Copyright: Câmara Municipal de Sintra 2017